Os direitos do consumidor são constantemente violados e na maioria dos casos as empresas ou prestadores de serviços não são acionados pela justiça.

Isso ocorre por que a maioria dos consumidores não conhecem os próprios direitos, além disso, o desgaste para correr atrás do prejuízo nem sempre vale a pena, principalmente no Brasil onde a justiça funciona de forma lenta e muitas vezes insatisfatória com relação aos anseios da população.

Com a chegada da internet, a informação tem se espalhado para mais pessoas, com isso, mais pessoas tem ciência dos seus deveres e direitos como individuo, cidadão e consumidor.

Esse salto cultural no Brasil ocorreu nos últimos 10 anos e tende a ser mais impactante no futuro quando a acessibilidade destes meios de comunicação for expandida para locais mais remotos.

Black Friday

Se você está lendo este artigo, existem grandes chances de você conhecer a Black Friday, mas, caso não conheça, a Black Friday é um evento informal que rola em todo o mundo no final do ano.

A Black Friday é um período em que as empresas combinam de abaixar os preços, diminuindo a porcentagem de lucro na unidade de produtos, porem, como a demanda de consumidores a espera deste evento é alta, as empresas lucram na quantidade de produtos vendidos.

O problema da Black Friday é que ela abre brecha para pessoas mal intencionadas criarem sites falsos promovendo produtos e descontos falsos, fazendo com que o dinheiro ou os dados do cartão de crédito dos consumidores sejam roubados.

É aí que entram os advogados, a busca por escritório de advocacia especializado nos direitos do consumidor neste período é altíssima, sem duvidas é a maior demanda do ano para estes profissionais.

Casos recentes e dicas de como não cair em golpes

Na Black Friday de 2019 ocorreram diversos escândalos, como o de sites falsos vendendo telefones, baterias automotivas e até mesmo produtos cosméticos.

Uma dica importante para não cair neste tipo de golpe é verificar se o site está correto, por exemplo, se você deseja comprar uma bateria moura, verifique se está no site oficial do fabricante ou de um distribuidor credenciado.

Verifique também se o site possui certificado SSL, este certificado é o responsável por identificar o site como seguro no navegador.

Outra dica que pode te ajudar é ligar na empresa e perguntar se esta promoção é verídica, sendo assim, as chances de cair em um golpe diminui drasticamente.

Busque seus direitos

Caso seja prejudicado, não deixe de buscar os seus direitos, não contribua para a impunidade, se cada consumidor lesado buscar por um advogado do consumidor e acionar a empresa na justiça, esse tipo de crime diminuirá.

Este foi o caso de muitas pessoas lesadas em 2016 quando uma empresa de consórcio nacional faliu e não devolveu o dinheiro dos clientes.

Através de uma denúncia coletiva, o Ministério Público tomou ciência do ocorrido, interveio e acelerou o processo na justiça, fazendo com que os antigos donos da empresa de consórcios tivessem seus bens bloqueados pelo juiz de direito atribuído ao caso e posteriormente transferindo os valores bloqueados para os consumidores lesados.

O direito do consumidor é um direito de todos

Caso não tenha dinheiro para poder contratar um advogado do consumidor e acionar a justiça, poderá dispor de um advogado do estado.

Hoje em dia, existem diversos defensores públicos, cada um, especializado em uma área do direito, e o direito do consumidor não fica de fora.

Conclusão

Existem diversas formas de correr atrás dos seus direitos, mesmo sem ter dinheiro para contratar um advogado.

Esperamos que este artigo te ajude, se gostou, compartilhe com seus amigos.

Postagem Anterior Próxima Postagem